A ictiofauna do naufrágio do Ferry Boat Agenor Gordilho : 850 dias desde o afundamento

No último domingo, dia 19/03/2023, o ferry boat Agenor Gordilho completou 850 dias em baixo d´água e neste período registramos ao longo de 59 mergulhos (o equivalente a pouco mais de 34 horas), 88 espécies de peixes recifais que representam 36 famílias e 11 ordens, dentre as quais e como pode ser observado no gráfico de acumulação a curva ainda não demonstra tendência de estabilidade.

Curva de acumulação de espécies ao longo dos meses de monitoramento da ictiofauna no naufrágio do Agenor Gordilho do dia seguinte ao afundamento até o 850º dia.

Dentre as 88 espécies registradas, 5 delas foram observadas em 95% dos mergulhos realizados e 2 em 94%, foram elas o Barbeiro azul (Acanthurus coeruleous), o Cromis-marrom (Chromis multilineata), o Xixarro (Decapterus macarellus), a Quatinga (Haemulon aurolineatum), o Ariacó (Lutjanus synagris), a Guaraiuba (Ocyurus chrysurus) e o Sargentinho (Abudefduf saxatilis). 33 das espécies foram registradas em menos de 10% dos mergulhos.

Cardume de xixarro (Decapterus macarellus) no naufrágio do ferry boat Agenor Gordilho (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

As espécies mais abundantes foram a Quatinga e o Xixarro, ambas com cardumes numerosos, muitas vezes podendo ultrapassar 5.000 indivíduos, seguidos pela Sardinha (Harengula jaguana) que foram registradas em 55% dos mergulhos e por vezes apresentou cardumes de pouco mais de 1.000 indivíduos, em seguida a Pescadinha-de-pedra (Odontoscyon dentex) que foi registrado em 81% dos mergulhos com cardumes numerosos nas áreas internas da estrutura (apresentando cardumes numerosos, com estimados 500 indivíduos), seguido pelo Cromis-marrom e pelo Boquinha (Paranthias furcifer) cujos recrutas foram registrados formando cardumes mistos com mais de 200 indivíduos em pelo menos 32% dos mergulhos realizados.

Um dos meros (Epinephelus itajara) registrados no interior do naufrágio do ferry boat do Agenor Gordilho (Foto: Roberto Amarante Costa-Pinto)

O senhor das pedras, o Mero (Epinephelus itajara) foi registrado em 25% dos mergulhos, indivíduos representados por um ou dois indivíduos com pouco mais de 1,2m de comprimento até indivíduos com mais de 2,0m. Nunca mais de um indivíduo registrado em um mesmo mergulho.

Um Badejo (Mycteroperca bonaci) e um Frade (Pomacanthus arcuatus) registrados no naufrágio do ferry boat Agenor Gordilho (Foto: Roberto Amarante Costa Pinto)

Outros peixes de grande porte registrados foram o Badejo (Mycteroperca bonaci), o Xaréu (Caranx hippos), a Caranha (Lutjanus cyanopterus), Beijupirá (Rachycentron canadum), a Barracuda (Sphyraena barracuda), a Sororoca (Scomberomorus regalis) e a Cavala (Scomberomorus cavala).

Peixe-sapo-listrado (Antennarius striatus) registrado no naufrágio do ferry boat Agenor Gordilho (Foto: Roberto Amarante Costa Pinto)

Outros registros interessantes estão relacionados ao Cavalo-marinho-de-focinho-longo (Hippocampus reidi) registrado em duas oportunidades nas partes superiores do navio (aproximadamente 16m de profundidade) e o Peixe-sapo-listrado (Antennarius striatus) que também foi observado em duas oportunidades, porém em uma delas foram observados 3 indivíduos da espécie, o que não é muito comum.

Cirurgião (Acanthurus chirurgus) registrado no naufrágio do ferry boat Agenor Gordilho (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

Dentre os herbívoros os Barbeiros, em especial o Barbeiro-azul e o Cirurgião (Acanthurus chirurgus) estiveram presentes na maioria dos mergulhos, o primeiro em 94% dos mergulhos e o segundo em 66% e foram observados desde indivíduos isolados, incluindo um recruta ainda todo transparente, como formando cardumes mistos. Os budiões só apareceram nos naufrágios a partir do segundo ano, primeiro através de pequenos recrutas de Budião-batata (Sparisoma axillare) e do Budião-sinaleiro (Sparisoma frondosum) e com o tempo estes recrutas foram ficando maiores e hoje é possível observar indivíduos adultos destas espécies (não vi nenhum na fase terminal) nas estruturas. Mesmo so tendo aparecido nos naufrágios a partir do segundo ano eles foram registrados em mais de 50% dos mergulhos.

Budião-sinaleiro (Sparisoma frondosum) registrado no naufrágio do ferry boat Agenor Gordilho (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

Apesar do resultado qualitativo acima citado, a ictiofauna do naufrágio, como já era esperado, difere dos recifes biogênicos e rochosos mais próximos, as espécies de hábito planctívoro dominam o naufrágio com cardumes numerosos que por vezes escondem o imenso navio atraindo tanto os peixes de grande porte já citados como cardumes de predadores de médio porte como o Ariacó que forma cardumes enormes e que diferente dos recifes naturais, no naufrágio é mais comum sobre as estruturas que na areia e os Dentões (Lutjanus jocu).

Cardume de Quatinga (Haemulon aurolineatum) registrado no naufrágio do ferry boat Agenor Gordilho (Foto: Roberto Amarante Costa Pinto)

Os dados da ictiofauna deste naufrágio tem sido coletados por mergulhadores científicos capacitados para o trabalho nas profundidades que o Agenor Gordilho apresenta, habilitados não só para fazer mergulhos fundos e descompressivos como para realizar as penetrações necessárias para a coleta de dados em todos os espaços da estrutura em segurança, e habilitados a utilizar as misturas gasosas que permitem os tempos de fundo necessários, tudo isso com recursos próprios e total apoio logístico da Shark Dive. Este monitoramento está sendo realizado por iniciativa própria.

Sobre a necessidade de estar devidamente qualificado e habilitado para dificuldades impostas pela profundidade e complexidade das estruturas do naufrágio para a coleta de dados (Foto: Roberto Amarante Costa Pinto)

Para a coleta de dados da ictiofauna estão sendo aplicados métodos de censo estacionário e de busca visual ativa (Rover Diving Census) para os peixes recifais, métodos considerados os mais adequados considerando as limitações impostas pela profundidade e pela necessidade em se coletar dados também no interior da embarcação afundada uma vez que algumas das espécies só são registradas nestes locais.

Mergulhador científico com a configuração em sidemounting com dois cilindros a mais de 30m de profundidade no naufrágio do ferry boat Agenor Gordilho (Foto: Roberto Amarante Costa Pinto)

Os mergulhadores estão sempre configurados no padrão sidemounting (cilindros armados na lateral) com dois cilindros, em muitos casos urilizando misturas Nitrox de forma a fazer 30 minutos ou as vezes mais a até 34.5m de profundidade com menos risco de narcose e pagando uma menor descompressão no processo de subida.

Peixe-porco (Aluterus scriptus) registrado no naufrágio do ferry boat Agenor Gordilho (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

 

Guaraiuba (Ocyurus chrysurus) registrada no naufrágio do ferry boat Agenor Gordilho (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

 

Ariacó (Lutjanus synagris) registrado no naufrágio do ferry boat Agenor Gordilho (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

 

Mais xixarros (Decapterus macarellus) registrados no naufrágio fo ferry boat Agenor Gordilho (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

 

Budiãozinho-de-Noronha (Thalassoma noronhanum) registrado no naufrágio do ferry boat Agenor Gordilho (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

 

Garrião-guloso (Labrissomus nuchpinnis) registrado no naufrágio do ferry boat Agenor Gordilho (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

 

Jaguaraçá (Holocentrus adscensionis) registrado no naufrágio do ferry boat Agenor Gordilho (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

 

 

About Rodrigo Maia-Nogueira

Mergulhador e apaixonado pelos oceanos desde a infância. Desde a década de 1990 está envolvido em ações e pesquisas relacionadas com a biota aquática, tendo sido coordenador de resgate do Centro de Resgate de Mamíferos Aquáticos (CRMA) do Instituto Mamíferos Aquáticos (IMA) e fundador do Centro de Pesquisa e Conservação dos Ecossistemas Aquáticos (Biota Aquática) e do EcoBioGeo Meio Ambiente & Mergulho Científico, e ao longo dos anos participou de projetos de pesquisa e de consultoria na ambiental em parceria com diversas instituições. Também atua como instrutor de mergulho SDI e PADI. Tem como objetivo, além de produzir informação de qualidade fomentar o reconhecimento e a qualificação dos mergulhadores científicos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.