o Grama volta a ser protegido no Brasil

O Grama (Gramma brasiliensis), espécie endêmica e uma das cinco espécies recifais brasileiras de maior interesse pelo mercado de peixes marinhos ornamentais, voltou a ser protegido no Brasil.

Em 2005 o Grama era considerado pelo ICMBio como sendo uma espécie da categoria Vulnerável, uma vez que as melhores evidências disponíveis indicavam que a espécie enfrentava risco alto de extinção na natureza e, portanto, se encontrava protegido. Entretanto, na edição de 2018 do Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção, a espécie foi reclassificada para a categoria de Quase Ameaçada e perdeu o status de proteção.

Uma espécie recebe a classificação de Quase Ameaçada quando os dados existentes sobre o status populacional da espécie e para a análise quantitativa de risco de extinção são insuficientes para se classificar como uma das categorias de ameaça (Vulnerável, Em Perigo ou Criticamente em Perigo) ou quando a espécie teve uma melhora no seu status populacional.

No caso do Grama, a espécie não teve uma melhora no seu status populacional e apesar de ter classificado a espécie como Quase Ameaçado, o ICMBio considera que o alto valor da espécie no mercado de peixes ornamentais e na aquariofilia é a maior ameaça sobre ela, podendo levá-la à extinção.

Recentemente, após o encaminhamento feito pela Sociedade Brasileira de Ictiologia (SBI) solicitando a proteção do Grama, em 9 de setembro último foi publicada a Portaria SAP/MAPA nº387 que dispõe sobre a proibição da captura, transporte e comercialização do Grama com finalidade ornamental e de aquariofilia em todo o território brasileiro.

Please follow and like us:

Autor(es)

+ Artigos

Mergulhador e apaixonado pelos oceanos desde a infância.
Desde a década de 1990 está envolvido em ações e pesquisas relacionadas com a biota aquática, tendo sido coordenador de resgate do Centro de Resgate de Mamíferos Aquáticos (CRMA) do Instituto Mamíferos Aquáticos (IMA) e fundador do Centro de Pesquisa e Conservação dos Ecossistemas Aquáticos (Biota Aquática) e do EcoBioGeo Meio Ambiente & Mergulho Científico, e ao longo dos anos participou de projetos de pesquisa e de consultoria na ambiental em parceria com diversas instituições.
Também atua como instrutor de mergulho SDI e PADI.
Tem como objetivo, além de produzir informação de qualidade fomentar o reconhecimento e a qualificação dos mergulhadores científicos.

About Rodrigo Maia-Nogueira

Mergulhador e apaixonado pelos oceanos desde a infância. Desde a década de 1990 está envolvido em ações e pesquisas relacionadas com a biota aquática, tendo sido coordenador de resgate do Centro de Resgate de Mamíferos Aquáticos (CRMA) do Instituto Mamíferos Aquáticos (IMA) e fundador do Centro de Pesquisa e Conservação dos Ecossistemas Aquáticos (Biota Aquática) e do EcoBioGeo Meio Ambiente & Mergulho Científico, e ao longo dos anos participou de projetos de pesquisa e de consultoria na ambiental em parceria com diversas instituições. Também atua como instrutor de mergulho SDI e PADI. Tem como objetivo, além de produzir informação de qualidade fomentar o reconhecimento e a qualificação dos mergulhadores científicos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.