Manifestação de repúdio à intenção da prefeitura de São Paulo de oferecer carne de “cação” na merenda escolar

A Sociedade Brasileira para o Estudo de Elasmobrânquios (SBEEL) divulgou uma manifestação de repúdio a intenção da prefeitura do município de São Paulo de oferecer carne de tubarões e raias (referida em um edital de compra como sendo “carne de cação em cubos sem pele e congelados”) na merenda escolar, sendo distribuídas aos sistemas de gestão direta e mista do Programa de Alimentação Escolar (PAE).

Cação como já vimos aqui no blog é uma designação popular dada a toda carne de elasmobrânquios (tubarões e raias) e que podem ainda, de forma desonesta, ser atribuída a outras espécies de peixes, como revelam pesquisas genéticas realizadas com produtos que levam essa designação à venda nos mercados de todo país.

E porque a SBEEL se manifesta contra a distribuição desta fonte de proteínas como merenda escolar?

Além do risco de se comprar gato por lebre e oferecer uma carne de qualquer outro peixe, inclusive de um peixe de baixa qualidade nutricional, existem outros grandes motivos, dos quais alguns se destacam.

O primeiro motivo está associado às fraudes de rotulagem, uma vez que muitas espécies de tubarão estão ameaçadas e como são vendidas simplesmente como cação pode ser a carne de qualquer espécie desse grupo.

E o segundo e mais importante motivo é o de que estes animais (tubarões e raias) são bioacumuladores, eles assimilam por biomagnificação as toxinas e contaminantes dos animais que predam e costumam ter grandes concentrações de mercúrio e outros metais pesados, colocando em risco quem os consome. Oferecer carne de “cação” na merenda escolar é colocar os alunos em risco de contaminação por metais pesados.

Além destes motivos tema ainda o fato de que as comunidades pesqueiras do litoral do Estado de São Paulo têm dificuldade para colocar no mercado a sua produção pesqueira. Adquirir este pescado fresco para fornecer ao PAE não só oferece um produto de melhor qualidade e de menor custo, como incentiva uma produção bem mais justa e responsável que a da carne de “cação”.

Entidades como o Instituto Linha D´Água, o Sea Shepherd Brasil, entre outras, além de nós da EcoBioGeo nos unimos com a SBELL no coro contra a realização deste edital, pela saúde das crianças, pela conservação dos “cações” (tubarões e raias) e pela opção por um alimento de maior qualidade, menor custo e que apoie as comunidades tradicionais.

Confira aqui a manifestação da SBEEL.

Please follow and like us:

Autor(es)

+ Artigos

Mergulhador e apaixonado pelos oceanos desde a infância.
Desde a década de 1990 está envolvido em ações e pesquisas relacionadas com a biota aquática, tendo sido coordenador de resgate do Centro de Resgate de Mamíferos Aquáticos (CRMA) do Instituto Mamíferos Aquáticos (IMA) e fundador do Centro de Pesquisa e Conservação dos Ecossistemas Aquáticos (Biota Aquática) e do EcoBioGeo Meio Ambiente & Mergulho Científico, e ao longo dos anos participou de projetos de pesquisa e de consultoria na ambiental em parceria com diversas instituições.
Também atua como instrutor de mergulho SDI e PADI.
Tem como objetivo, além de produzir informação de qualidade fomentar o reconhecimento e a qualificação dos mergulhadores científicos.

About Rodrigo Maia-Nogueira

EcoBioGeo Meio Ambiente & Mergulho Científico. Popularizando as ciências marinhas com informações de qualidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.