Câmera de Ação: Xtrax Selfie

Reviews e testes de equipamentos até o momento não eram comuns aqui no blog, segue o primeiro deles e sempre que tivermos a oportunidade de testar novos equipamentos não custa nada vir aqui e prestar nosso depoimento na tentativa de ajudar vocês caso estejam pensando em adquirir algo semelhante.

Recentemente sofri o alagamento da minha máquina fotográfica Olympus Tough TG-3 e então, em paralelo à aquisição de outra câmera para a obtenção das imagens dos nossos serviços resolvi também adquirir uma câmera de ação para filmar os mergulhos.

Como a oferta é grande, a quantidade de marcas e modelos de todos os preços (desde os R$ 79,00 à mais de R$ 4.000,00) analisei vários vídeos de reviews e unbox no Youtube de diversas dessas marcas e modelos, li reviews em blogs especializados, as fichas técnicas de cada equipamento nos sites das marcas (quando existiam tais sites) e reclamações no ReclameAqui.

Levei em conta alguns aspectos que para mim eram importantes, o primeiro deles é que a câmaera tivesse a capacidade de ser utilizada em mergulho suportando pelo menos entre 5 a 7 ATM de pressão, que fossem capaz de filmar em 1080 com 60fps, verifiquei a definição das imagens obtidas com as máquinas utilizando o zoom em imagens postadas nas redes sociais e marcadas com hashtags com as marcas e modelos das máscaras e obviamente outro aspecto muito importante, porém menos importante que as questões anteriores, o preço.

Escolhi a máquina Selfie da marca nacional Xtrax que tanto na ficha técnica disponível no site da empresa quanto impresso na embalagem do produto apresenta uma caixa estanque com capacidade para até 60m de profundidade, filma em 1080 com 60fps, possui imagens muito boas com a hashtag #StraxSelfie nas redes sociais e se encontrava disponível por um preço bem convidativo nas Casas Bahia, no final das contas a opção com o melhor custo-benefício. O fato de ser uma marca brasileira pesou bastante também na escolha.

Câmera Xtrax Selfie, notar telinha de Selfie na parte frontal da câmera e botões de power/seleção e ação na parte superior da câmera (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

A pequena câmera apresenta uma boa construção e um design interessante, com um aspecto mais bonito em relação às caixas concorrentes em forma de “caixote”. Tanto o botão power usado para ligar/desligar (também utilizado para selecionar o modo) quanto o de ação usado para disparar as fotos estão localizados no topo da máquina já que na frente dela ao lado das lentes (onde fica o botão power ou uma telinha LCD com informações básicas na maioria das máquinas concorrentes) a câmera apresenta uma pequena tela utilizada para fazer “selfies”.

O menu é bem simples, sem mistérios, trazendo apenas as configurações que são realmente importantes, afinal uma câmera de ação não precisa de mais do que isso e precisa ser configurada de forma fácil, rápida e prática.

Gostei da qualidade das fotos em ambiente aberto e com luz natural, na real me impressionai até, não deixa nada a desejar nem às câmeras de ação mais famosas e bem mais caras, porém fotografias de objetos em movimento com pouca luz achei que deixou um pouco a desejar, porém se ao invés de fotografar você filmar em 1080p com 60fps e depois extrair um dos frames aumentam as chances de conseguir uma imagem mais nítida. Nas filmagens a perda de qualidade como menos luz é menor.

No primeiro teste na água levei um susto, ao entrar na água, antes mesmo de submergir percebi que a câmera estava úmida dentro da caixa, o que sugeria que havia entrado água na caixa mesmo na superfície.

Câmera Xtrax Selfie após o primeiro teste na água, notar a umidade na parte frontal inferior esquerda no interior da caixa estanque acima do nome Xtrax e na extremidade inferior direita abaixo da proteção da lente (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

Saí da água, sequei externamente a caixa estanque, abri, retirei a câmera e testei verificando que funcionava perfeitamente, sequei a caixa estanque internamente fechei novamente e refiz o teste, desta vez sem a câmera dentro da caixa para evitar que esta viesse a danificar e utilizando outra câmera para filmar e fotografar os procedimentos de teste.

Take do teste da caixa estanque para verificar se estava entrando água ou se havia sido um problema na hora de fechar a caixa (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

Uma vez na água iniciei a imersão filmando a caixa e antes de chegar a 1m de profundidade a água começou a entrar na caixa fazendo logo uma camada na porção superior. Não quis insistir, já estava evidente que a caixa estanque apresentava problemas.

Chegando em casa busquei o site da Xtrax e abri um ticket de reclamação explicando o corrido e anexando as fotos e um vídeo, e em menos de 24 horas fizeram o primeiro contato solicitando os meus dados para que pudessem enviar uma nova caixa estanque para mim, respondi em poucos minutos e em menos de uma hora meu ticket já estava com a tag de envio prioritário.

A negociação não levou muito tempo, na verdade nem houve, em menos de 24h o envio de uma nova caixa estanque foi autorizado e marcado como prioritário e cindo dias depois o envio foi feito e realmente de forma prioritária já que no dia seguinte após o recebimento da confirmação do envio com o código de rastreio o pacote me foi entregue.

Nova caixa estanque da Xtrax Selfie (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

Obviamente o primeiro teste da nova câmera não foi no mar, resolvi testa ainda em casa em uma piscina inflável e comparei com imagens obtidas utilizando uma Canon PowerShot G12 com caixa WP-DC34 que também adquiri recentemente, na mesma piscina dias antes.

Foto de uma réplica de Tubarão-baleia obtida com a Xtrax Selfie na piscina (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

Na piscina me limitei a fazer fotos. As imagens ficaram satisfatórias, a luminosidade estava boa no dia e por isso não percebi problemas ou distorções na obtenção das cores, porém esperava um pouco mais da definição. De forma geral atende, e como a minha intenção é usar para filmar no stop os mergulhos em 60fps e depois obter takes destes filmes. Na profundidade da piscina (menos de 1m) não foi percebida a entrada de água e o tempo decorrido nos testes não foi o suficiente para provocar o embaçamento da caixa.

Outra foto de uma réplica de Tubarão-baleia obtida com a Xtrax Selfie na piscina (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)
Imagem da mesma réplica de Tubarão-baleia obtida no mesmo local e com as mesmas condições de luminosidade com uma Canon PowerShot G12 com caixa estanque WP-DC34 sem o uso de iluminação artificial (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

No mar fiz apenas uma foto e as demais imagens obtive de takes de filmagens. A única foto foi obtida ainda na superfície a poucos metros de profundidade, como o sol estava muito forte e o céu bem claro a luminosidade provocava reflexos na água que acabaram estourando na imagem reduzindo a definição nesses pontos.

Única imagem obtida no modo fotografia durante um mergulho no mar com a Xtrax Selfie até o momento (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

Até o momento foram feitos dois mergulhos com a Xtrax Selfie, ambos em profundidades aproximadas de 9.0m em períodos de maré grande e portanto com bastante suspensão na água e portanto a perda de cores e parte da limitação na definição das imagens podem estar associadas às condições citadas, perdas também registradas (em maior ou menor proporção) utilizando outras câmeras de ação e até mesmo em algumas compactas. De forma geral gostei muito do resultado das fotos obtidas.

Foto de um Porquinho-listrado (Cantherhines pullus) obtida através de um take extraído de uma filmagem em 1.080p 60fps feito com uma Xtrax Selfie no sítio dos naufrágios do Germânia e Bretagne no Parque Marinho da Barra, Salvador (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira).
Mesma imagem, fita no mesmo local e mesmo momento da anterior com uma Canon PowerShot G12 com caixa estanque WP-DC34 sem o uso de iluminação artificial (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira).
Take obtido através de uma filmagem em 1.080p 60fps utilizando a Xtrax Selfie de uma das 12 âncoras conhecidas do circuito das âncoras no sítio dos naufrágios do Germânia e Bretagne no Parque Marinho da Barra, Salvador (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira).

O que me chamou atenção foi que em mergulhos longos (mais de 40 minutos) com filmagem no stop a bateria segurou bem e só caiu mesmo no finzinho do mergulho, porém com 20 a 25 minutos de mergulho, com a temperatura da água estável em 27ºC, a caixa começou a embaçar, felizmente não comprometendo as imagens já que o embaçamento na lente não foi grande, porém a caixa ficou toda suada por dentro a ponto de deixar a máquina completamente úmida. Fico imaginando em maiores profundidades ou em águas mais frias … por sorte junto com os itens que vieram com a câmera vieram algumas pastilhas anti-fog para os próximos mergulhos pretendo experimentar estas pastilhas para ver se reduzem o embaçamento.

Umidade provocada pelo embaçamento dentro da caixa estanque da Xtrax Selfie após um mergulho de pouco mais de 40 minutos, em um local cuja temperatura da água se manteve em 27ºC, quando a câmera foi utilizada para filmar initerruptamente (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

Nos reviews que acompanhei a maior queixa dessa câmera era em relação ao microfone, o som capturado não era bom … bom, na maioria das outras câmeras de ação também não é e sinceramente, para mim o som é o que menos importa pois na maioria dos vídeos que pretendo fazer com ela o único som que tem é o de bolhas. Por isso nem dei muita atenção a este detalhe e nos testes que fiz não notem diferença na qualidade do som das bolhas em relação a outras câmeras de ação que já utilizei.

A caixa vem com 20 acessórios, bastante coisa mesmo, desde suportes a fitas de Hellerman (também conhecidos por lacre, abraçadeira, cinta plástica, tarap ou enforca gatos) incluindo um controle remoto que confesso, não cheguei a utilizar, mas para quem obtém imagens com tripé deve ser muito útil para evitar trepidações. Dos itens o que parece ser bem útil já que estas câmeras de ação embaçam e suam muito são as pastilhas anti-fog, vem um pacotinho com algumas delas entre os 20 acessórios.

Conexão, a câmera conecta bem com o celular, achei a conexão mais estável até do que em outras câmeras de ação mais famosas, porém o aplicativo que permite acessar a Xtrax Selfie não está disponível na Play Store, por algum motivo foi retirado da loja do Google, porém em uma busca rápida no próprio Google eu consegui achar o APK e estou usando quase que normalmente, não só permite o controle total da câmera como alterar as suas configurações, baixar as fotos, vídeos, enfim, gerenciar da forma que quiser a sua câmera. O aplicativo tem alguns problemas nos menus que você tem que ficar testando para saber as opções já que os textos não aparecem, mas no geral da pra usar. Como a Xtrax tirou o aplicativo da lojinha do Google a obtenção do APK por outros meios deve ser feito por sua própria conta e risco … se não for essencial para o seu uso do dia-a-dia, evite utilizá-lo, aguarde que a Xtrax em breve deve lançar algum outro APP.

Para o iPad eu consegui achar e baixar o aplicativo na App Store, porém ele não abre, fica em looping eterno, porém achei um aplicativo “similar” que não recordo o nome por onde consegui acessar as imagens armazenadas na câmera e ter algum controle como alternância dos modos e obtenção de imagens, mas tem limitações, fora que ele não foi desenhado para o uso em um iPad mas sim em um iPhone dai a interface fica bem mau dimensionada, feia e interfere na usabilidade (experiência do usuário). Da mesma forma que para o APK do Android, o uso do App não oficial mesmo estando disponível na App Store é por sua própria conta e risco.

Neste meio tempo tive a oportunidade de testar ou de conferir os resultados obtidos com outros modelos de câmera de ação das linhas mais em conta (até R$ 300,00) e a Xtrax Selfie não deixa a desejar contra nenhuma delas, se mostrando até superior que algumas em determinados aspectos.

Bom, no mais, considerando o custo-beneficio e a qualidade do atendimento do pós-venda (coisa rara), se você quer uma câmera barata para obter umas imagens de lembrança dos seus mergulhos eu recomendo a Xtrax Selfie, já para a obtenção de imagens para outros fins que exigem mais da qualidade as opções ainda possuem um custo bem superior.

IMPORTANTE: Não recebemos nenhum tipo de apoio ou financiamento da Xtrax e de nenhuma outra marca ou produto citado no texto, não se trata de uma postagem paga ou anuncio contratado, portanto a nossa opinião é idônea, livre de qualquer compromisso a não ser com o possível futuro usuário.

Atual configuração do meu equipamento fotográfico (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

Please follow and like us:

Autor(es)

+ Artigos

Mergulhador e apaixonado pelos oceanos desde a infância.
Desde a década de 1990 está envolvido em ações e pesquisas relacionadas com a biota aquática, tendo sido coordenador de resgate do Centro de Resgate de Mamíferos Aquáticos (CRMA) do Instituto Mamíferos Aquáticos (IMA) e fundador do Centro de Pesquisa e Conservação dos Ecossistemas Aquáticos (Biota Aquática) e do EcoBioGeo Meio Ambiente & Mergulho Científico, e ao longo dos anos participou de projetos de pesquisa e de consultoria na ambiental em parceria com diversas instituições.
Também atua como instrutor de mergulho SDI e PADI.
Tem como objetivo, além de produzir informação de qualidade fomentar o reconhecimento e a qualificação dos mergulhadores científicos.

About Rodrigo Maia-Nogueira

EcoBioGeo Meio Ambiente & Mergulho Científico. Popularizando as ciências marinhas com informações de qualidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.