A Importância da Formação de Mergulho no Mergulho Científico

Por definição lógica o mergulho científico é todo aquele mergulho realizado com a finalidade da coleta de informações, seja em forma de observações ou amostras (físicas ou imagens), com fins científicos.

O mergulho científico pode ser realizado de diversas formas, seja com uso de equipamento SCUBA, seja em mergulho livre apenas com equipamento básico, seja com circuito fechado (Rebreather) ou mesmo com equipamento dependente (compressor).

Mergulhador científico em apneia (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

Na maioria das vezes os perfis de mergulho em uma atividade de mergulho científico diferem bastante do mergulho recreativo convencional uma vez que por mais que tenha mais de um mergulhador dentro d´água em uma mesma operação de mergulho geralmente cada um deles está seguindo um perfil de mergulho totalmente diferente ao do outro e muitas vezes a metodologia a ser aplicada inviabiliza que os mergulhadores consigam manter um o outro no seu campo de visão, eles fazem literalmente mergulhos solo.

Mergulhador científico (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

E ainda com relação aos perfis de mergulho as diferenças não param por ai, muitas vezes estes mergulhos são realizados por tempos quer excedem os limites não descompressivos e a depender da pesquisa inclusive a profundidade do mergulho por ser superior ao convencional no mergulho recreativo.

Mergulhador científico mergulhando com dupla de cilindros em sidemount em um ponto profundo (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

O mergulho científico vai além do mergulho recreativo e portanto não basta o mergulhador possuir uma formação de mergulho básico e mesmo de mergulho avançado, estas formações não preparam os mergulhadores para situações incomuns ao mergulho recreativo.

Fazer um curso da especialidade de mergulhador científico também não torna o mergulhador apto a fazer qualquer mergulho necessário nestas operações uma vez que esta ainda é uma especialidade que mantém o mergulhador dentro dos limites de tempo de fundo e profundidade do mergulho recreativo, além de não preparar o mergulhador para mergulhos solo entre outros.

Mergulhador científico em um naufrágio profundo com o uso de misturas Nitrox para um perfil descompressivo (Foto: Roberto Costa Pinto)

O mergulhador científico precisa ter uma formação sólida e completa, ele precisa estar capacitado para mergulhar em profundidades superiores às do mergulho recreativo convencional, com diversos gases, com mais de um cilindro, a programar e fazer descompressão, a mergulhar sozinho, etc.

Obvio que muitos dos mergulhos científicos, a maioria deles, se dão dentro dos limites profundidade do mergulho recreativo, muitas vezes inclusive em ambientes rasos com tempos de fundo mais longos que os mergulhos recreativos convencionais porém sem atingir os limites não descompressivos, porém um único cilindro não pode não ser o suficiente e usar dois cilindros não é apenas pendurar um outro equipamento SCUBA na sua lateral e quando um acabar usa o outro, existem técnicas e riscos nesta atividade que não são ensinadas nos cursos básico e avançado.

Mergulhador científico mergulhando com dupla de cilindros em sidemount (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

Muitas vezes os mergulhadores científicos precisam fazer 3, 4 ou mais mergulhos em um só dia, todos eles longos e com intervalos curtos, ou em alguns casos mergulhos em profundidades que o perfil já atinja e ultrapasse os limites não descompressivos, nestes casos o uso de outros gases traz mais segurança e economia de tempo (com paradas para descompressão e intervalos de superfície), assim como uma formação em mergulho descompressivo.

E obviamente, como em um mergulho científico quase sempre os mergulhadores fazem perfis independentes e na maioria das vezes eles precisam estar distantes um do outro a ponto de não conseguir manter outro mergulhador em seu campo de visão, uma formação em mergulho solo é fundamental.

Mergulhador científico (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

Situações adversas não são incomuns no mergulho científico, tais como perder o dupla, trabalhar em visibilidade limitada e não conseguir retornar para o cabo de subida, fazer descompressão à deriva, entre outras e portanto é imprescindível a preparação do mergulhador para atuar em situações de stress e que envolvam necessidade de resgate.

O mergulho técnico é, assim como uma formação sólida de mergulho recreativo, essencial para o mergulhador científico.

Mergulhador científico em procedimento descompressivo usando cilindro extra como stage (Foto: Bruno Lima de Menezes)

Uma boa formação de um bom mergulhador científico deve ter pelo menos os seguintes cursos que constam na lista de cursos das melhores certificadoras e são oferecidos pelas melhores escolas de mergulho:

  • Mergulhador Básico (Open Water Diver ou equivalente)
  • Mergulhador Avançado (Advanced Diver ou equivalente)
  • Mergulhador de Resgate (Rescue Diver ou equivalente)
  • Mergulhador Especialista em Flutuabilidade (Advanced Buoyancy Control Diver ou equivalente)
  • Mergulhador Especialista Solo (Solo Diver ou equivalente)
  • Mergulhador Técnico (Intro To Tech Diver ou equivalente)
  • Mergulhador Técnico em Sidemount (Sidemount Tech Diver ou equivalente)
  • Mergulhador Técnico em Nitrox Básico (Nitrox Tech Diver ou equivalente)
  • Mergulhador Técnico em Nitrox Avançado (Advanced Nitrox Tech Diver ou equivalente)
  • Mergulhador Técnico em Procedimentos Descompressivos (Deco Procedures Tech Diver ou equivalente)
  • Mergulhador Técnico em Limites Estendidos (Extended Range Tech Diver ou equivalente)
  • Mergulhador Técnico em Misturas Nitrox (Nitrox Blender Tech Diver ou equivalente)
Mergulhador científico coletando amostras (Foto: Roberto Costa Pinto)

Porém os cursos não se limitam a estes, um mergulhador científico que está engajado em mergulhos ainda mais profundos por exemplo deve fazer os cursos para capacitá-lo a utilizar outros gases como o Hélio nas misturas, ou um mergulhador que precise percorrer longas distâncias em um único mergulho deve se capacitar para o uso de DPV (veículos propulsores subaquáticos), ou que precise estar constantemente em limites estendidos deve considerar não só uma formação mais uma aquisição de equipamento de mergulho de circuito fechado (rebretahers).

São muitos os cursos disponíveis no mercado a depender da necessidade do mergulhador científico, eles não precisam ser feitos de imediato para o mergulhador/pesquisador se considerar e atuar como um mergulhador científico, porém ele deve se atentar para, sob forma alguma, mergulhar além das limitações impostas pela sua formação. O mergulho é uma atividade segura, desde que as normas (standards) sejam respeitadas.

Mergulhador científico em mergulho livre (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

E por fim, não basta ser um mergulhador com formação sólida no mergulho recreativo e completo no mergulho técnico para ser um mergulhador científico, porém à partir deste ponto as necessidades vão seguir caminhos diferentes a depender da ciência (biologia, oceanografia, arqueologia, geologia, geografia, história, engenharias …) e das especificidades de cada pesquisa em si. Existe muitos métodos específicos para mapeamento, censos, e outras formas de obtenção de informações particulares a cada objetivo ou alvo de cada pesquisa.

Uma formação sólida e uma capacitação adequada, de qualidade, são fundamentais para a formação dos mergulhadores científicos e fazem a diferença no mercado.

Prudência e profissionalismo acima de tudo!

Mergulhador científico mergulhando com dupla de cilindros em sidemount (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

About Rodrigo Maia-Nogueira

Mergulhador e apaixonado pelos oceanos desde a infância. Desde a década de 1990 está envolvido em ações e pesquisas relacionadas com a biota aquática, tendo sido coordenador de resgate do Centro de Resgate de Mamíferos Aquáticos (CRMA) do Instituto Mamíferos Aquáticos (IMA) e fundador do Centro de Pesquisa e Conservação dos Ecossistemas Aquáticos (Biota Aquática) e do EcoBioGeo Meio Ambiente & Mergulho Científico, e ao longo dos anos participou de projetos de pesquisa e de consultoria na ambiental em parceria com diversas instituições. Também atua como instrutor de mergulho SDI e PADI. Tem como objetivo, além de produzir informação de qualidade fomentar o reconhecimento e a qualificação dos mergulhadores científicos.

One thought on “A Importância da Formação de Mergulho no Mergulho Científico

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.