O Barbeiro

A Biota Aquática da baía de Todos os Santos e costa Atlântica de Salvador, Bahia

Barbeiro (Acanthurus bahianus)

  • Classe: Actinopterigyii
  • Ordem: Perciformes
  • Família: Acanthuridae
Barbeiro (Acanthurus bahianus) fotografado no Yacht Clube da Bahia (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

DESCRIÇÃO

O Barbeiro possui o corpo comprimido lateralmente de coloração uniforme acinzentada ou marrom escuro, possuindo capacidade para alternar entre estas cores, clarear um pouco ou escurecer um pouco rapidamente.

Barbeiro (Acanthurus bahianus) fotografado no naufrágio do Maraldi, Parque Marinho da Barra (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

A cauda do barbeiro é lunada (forma de lua) podendo apresentar uma mancha branca no pedúnculo caudal, local onde também está situado um par de espinhos retráteis, um de cada lado, utilizado para defesa.

Barbeiro (Acanthurus bahianus) fotografado no Yacht Clube da Bahia (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

BIOLOGIA

O Barbeiro tem preferência por ambientes recifais biogênicos ou rochosos entre 2 m e 40 m de profundidade.

Cardume de Barbeiros (Acanthurus bahianus) adultos fotografado no Porto da Barra (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

O Barbeiro geralmente vive em pequenos cardumes que podem incluir outras espécies de barbeiros ou cirurgiões, porém agregações numerosas de Barbeiros podem ser formadas em áreas de alimentação.

Cardume de Barbeiros (Acanthurus bahianus) jovens fotografado na Piscina da Barra (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

O Barbeiro tem hábito alimentar herbívoro, porém pode ocasionalmente se alimentar de pequenos invertebrados.

Barbeiro (Acanthurus bahianus) adultos se alimentando de algas no naufrágio do Maraldi, Parque Marinho da Barra (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

O Barbeiro parece ser indiferente à presença do mergulhador, afastando-se apenas quando este tenta se aproximar muito.

Barbeiros (Acanthurus bahianus) adultos fotografados em uma estação de limpeza de jovens Rufus (Bodianus rufus) (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

DISTRIBUIÇÃO

Ocorre no Atlântico Ocidental de Massachusetts nos Estados Unidos ao sul do Brasil. No Atlântico Oriental pode ser encontrado também na ilha de Santa Helena, território britânico ultramarino na costa da África.

Barbeiro (Acanthurus bahianus) fotografado no naufrágio do Maraldi, Parque Marinho da Barra (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

O Barbeiro pode ser observado em todos os pontos de mergulho de Salvador e da baía de Todos os Santos.

Barbeiro (Acanthurus bahianus) fotografado no naufrágio do Maraldi, Parque Marinho da Barra (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

STATUS DE CONSERVAÇÃO

O Barbeiro não se encontra em nenhuma lista de espécies ameaçadas.

Barbeiro (Acanthurus bahianus) fotografado no naufrágio do Maraldi, Parque Marinho da Barra (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

Sofre com a captura de indivíduos jovens para o mercado ornamental e de indivíduos adultos por iniciantes na caça submarina, apesar de não ser uma espécie considerada com valor comercial para o mercado alimentício, inclusive apresentando casos de intoxicação alimentar por Ciguatera.

Barbeiro (Acanthurus bahianus) fotografado no naufrágio do Maraldi, Parque Marinho da Barra (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)
Barbeiro (Acanthurus bahianus) fotografado no naufrágio do Maraldi, Parque Marinho da Barra (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)
Please follow and like us:

Autor(es)

+ Artigos

Mergulhador e apaixonado pelos oceanos desde a infância.
Desde a década de 1990 está envolvido em ações e pesquisas relacionadas com a biota aquática, tendo sido coordenador de resgate do Centro de Resgate de Mamíferos Aquáticos (CRMA) do Instituto Mamíferos Aquáticos (IMA) e fundador do Centro de Pesquisa e Conservação dos Ecossistemas Aquáticos (Biota Aquática) e do EcoBioGeo Meio Ambiente & Mergulho Científico, e ao longo dos anos participou de projetos de pesquisa e de consultoria na ambiental em parceria com diversas instituições.
Também atua como instrutor de mergulho SDI e PADI.
Tem como objetivo, além de produzir informação de qualidade fomentar o reconhecimento e a qualificação dos mergulhadores científicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.