A Garoupinha-mármore

A Biota Aquática da baía de Todos os Santos e costa Atlântica de Salvador, Bahia

Garoupinha-mármore (Alphestes afer)

  • Classe: Actinopterygii
  • Ordem: Perciformes
  • Família: Serranidae
Garoupinha-mármore (Alphestes afer) fotografada no Yacht Clube da Bahia (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

DESCRIÇÃO

A Garoupinha-mármore que atinge até 35 cm de comprimento total possui um corpo robusto, ligeiramente alto, cabeça pequena se comparado a outros peixes da mesma família, focinho curto e boca ampla. A coloração varia do laranja ao marrom, passando pelo vermelho e por tons esverdeados com pintas escuras por todo o corpo além de faixas escuras irregulares por todo o corpo, incluindo as nadadeiras, porém com mais intensidade na cabeça. Exemplares que habitam águas profundas possuem a coloração mais alaranjada.

Garoupinha-mármore (Alphestes afer) fotografada no Yacht Clube da Bahia (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

BIOLOGIA

A Garoupinha-gato é uma espécie solitária de hábitos tranquilos, costuma passar o dia parada, quase deitada sobre o fundo. Aparentam não ter medo e permitem a aproximação do mergulhador. A noite ela apresenta um pouco mais de atividade quando sai para se alimentar de pequenos crustáceos.

A Garoupinha-mármore costuma seguir animais forrageadores fuçadores para se aproveitar de eventuais presas que venham a ficar descobertas pela ação destes.

Garoupinha-mármore (Alphestes afer) fotografada seguindo uma Mutuca (Myrichthys ocellatus) enquanto esta forrageava fuçando as fendas no Yacht Clube da Bahia (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

A Garoupinha-mármore é uma espécie hermafrodita e atinge a maturidade sexual com aproximadamente 18 cm de comprimento. Sua reprodução é ovípara podendo postar entre pouco mais de 155.000 e quase 224.000 ovos.

Garoupinha-mármore (Alphestes afer) fotografada no naufrágio do Utrecht (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

DISTRIBUIÇÃO

A Garoupinha-mármore ocorre no Atlântico Ocidental, da Flórida e do Golfo do México ao Sul da Argentina, no Golfo da Guiné no Atlântico Oriental e no Pacífico Oriental próximo ao canal do Panamá.

Não é um peixe fácil de se ver na maioria dos pontos de mergulho da costa de Salvador e baía de Todos os Santos, porém é bastante comum nas Caramuanas e no naufrágio do Utrecht, ambos na costa da ilha de Itaparica.

Garoupinha-mármore (Alphestes afer) fotografada no Yacht Clube da Bahia (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

STATUS E CONSERVAÇÃO

A Garoupinha-mármore não consta em nenhuma categoria de ameaça.

Exemplares com até 20 cm podem ser vistos em lojas de ornamentais especializadas. Existem registros de captura desta espécie com esta finalidade no estado do Ceará.

Garoupinha-mármore (Alphestes afer) fotografada no Yacht Clube da Bahia (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)
Please follow and like us:

Autor(es)

+ Artigos

Mergulhador e apaixonado pelos oceanos desde a infância.
Desde a década de 1990 está envolvido em ações e pesquisas relacionadas com a biota aquática, tendo sido coordenador de resgate do Centro de Resgate de Mamíferos Aquáticos (CRMA) do Instituto Mamíferos Aquáticos (IMA) e fundador do Centro de Pesquisa e Conservação dos Ecossistemas Aquáticos (Biota Aquática) e do EcoBioGeo Meio Ambiente & Mergulho Científico, e ao longo dos anos participou de projetos de pesquisa e de consultoria na ambiental em parceria com diversas instituições.
Também atua como instrutor de mergulho SDI e PADI.
Tem como objetivo, além de produzir informação de qualidade fomentar o reconhecimento e a qualificação dos mergulhadores científicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.