O Jabú

A Biota Aquática da baía de Todos os Santos e costa Atlântica de Salvador, Bahia

Jabu (Cephalopholis fulva)

  • Classe: Actinopterygii
  • Ordem: Perciformes
  • Família: Epinephelidae
Jabu (Cephalopholis fulva) fotografado na Falha do Cretino (Foto: Roberto Costa Pinto)

DESCRIÇÃO

O Jabu possui o corpo alongado e robusto com a cabeça e boca grandes.

O colorido do Jabu é bem variado, aparentemente seguindo um padrão de acordo com fases: em uma das fases o corpo apresenta um colorido escuro entre o verde-oliva e o marrom com muitas manchas azuis pequenas; em outra fase apresenta o corpo amarelo com poucas manchas; em outra fase o corpo é avermelhado com poucas manchas, podendo ou não apresentar um ventre mais claro; e em outra fase a coloração é dividida em duas faixas nítidas onde o ventre é claro, geralmente branco e o dorso escuro, podendo ser vermelho, vermelho-amarronzado ou marrom bem escuro. Apesar da grande variação de colorido, em todas as fases é possível observar duas manchas escuras no “lábio” inferior e outras duas no pedúnculo caudal.

O Jabu pode atingir até 40 cm de comprimento total.

BIOLOGIA

O Jabu é uma espécie recifal que pode ser observada desde a interface entre o subtrato arenoso e o recife quanto na parede ou no topo destes ambientes.

Desconfiados os Jabus não costumam se distanciar muito de suas locas e com facilidade se escondem ao menor sinal de perigo. Mergulhadores consegue se aproximar se o fizerem com bastante calma e de forma bastante lenta.

Jabu (Cephalopholis fulva) parcialmente escondido em uma loca nos recifes de rodolitos em frente à praia de Jaguaribe, Salvador (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

Predador de hábito exclusivamente carnívoro se alimenta de pequenos peixes e crustáceos.

DISTRIBUIÇÃO

Ocorre do sul da Flórida ao sul do Brasil, incluindo as Bahamas, o Caribe e o Golfo do México.

Esta espécie pode ser observada em todos os pontos de mergulho de Salvador e baía de Todos os Santos.

Jabu (Cephalopholis fulva) fotografado em frente à praia de Jaguaribe, Salvador (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

STATUS DE CONSERVAÇÃO

O Jabu não se encontra sob nenhuma categoria de ameaça, porém segundo a IUCN as suas populações estão em declínio apesar da espécie ainda ser considerada com em baixo risco de extinção.

Devido ao seu colorido exemplares jovens de Jabu com até 10 cm são apreciados pela aquariofilia e exemplares com tamanho superior aos 10 cm. Já devido ao sabor da sua carne os Jabus são alvo da caça submarina e da pesca com linha de fundo.

No «mercado» recebe o nome de garoupinha, garoupa-diamante, caraúna e piraúna.

No Brasil a captura do Jabu com fins ornamentais encontra-se proibida.

Jabu (Cephalopholis fulva) fotografado no Yacht Clube da Bahia (Foto: Roberto Costa Pinto)

Acesse a versão em PDF desta página AQUI !

Please follow and like us:

Autor(es)

+ Artigos

Mergulhador e apaixonado pelos oceanos desde a infância.
Desde a década de 1990 está envolvido em ações e pesquisas relacionadas com a biota aquática, tendo sido coordenador de resgate do Centro de Resgate de Mamíferos Aquáticos (CRMA) do Instituto Mamíferos Aquáticos (IMA) e fundador do Centro de Pesquisa e Conservação dos Ecossistemas Aquáticos (Biota Aquática) e do EcoBioGeo Meio Ambiente & Mergulho Científico, e ao longo dos anos participou de projetos de pesquisa e de consultoria na ambiental em parceria com diversas instituições.
Também atua como instrutor de mergulho SDI e PADI.
Tem como objetivo, além de produzir informação de qualidade fomentar o reconhecimento e a qualificação dos mergulhadores científicos.

One thought on “O Jabú

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.