A Maria-Nagô

A Biota Aquática da baía de Todos os Santos e costa Atlântica de Salvador, Bahia

Maria-Nagô (Pareques acuminatus)

  • Classe: Actinopterigyii
  • Ordem: Perciformes
  • Família: Sciaenidae

DESCRIÇÃO

A Maria-Nagô é um peixe de coloração clara com listras horizontais negras que tem como principal característica a primeira nadadeira dorsal alongada. Característica que dá origem a um dos apelidos dados à espécie «anteninha»

Minúsculo filhote de Maria-Nagô (Pareques acuminatus) fotografado no naufrágio do Blackadder (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

Nos filhotes esta nadadeira é extremamente longa, exuberante, porém ela vai reduzindo ao longo da vida até ficar apenas ligeiramente maior que a segunda dorsal nos adultos.

Nos indivíduos adultos as faixas horizontais vão ficando mais grossas dando a impressão de que o peixe fica mais escuro. Alguns indivíduos chegam a ficar quase que totalmente escuros.

Maria-Nagô (Pareques acuminatus) adulta registrada no naufrágio do Blackadder (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

BIOLOGIA

Maria-Nagô (Pareques acuminatus) juvenil fotografada entocada na praia do Porto da Barra (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

Quando filhote é possível ver a Maria-Nagô se aventurando fora das suas locas, muitas vezes inclusive formando pequenos cardumes, porém os adultos dificilmente saem das locas durante o dia e quando saem se entocam quando ao se tentar uma aproximação.

Filhotes de Maria-Nagô (Pareques acuminatus) fotografados formando um pequeno cardume e se aventurando fora da toca na praia do Porto da Barra (Foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

A Maria-Nagô atinge até 23cm de comprimento e pode ser encontrado tanto em águas rasas a até 60m de profundidade.

Espécie essencialmente carnívora baseada em zoobentos (especialmente pequenos crustáceos) e que se alimenta à noite.

DISTRIBUIÇÃO

A Maria-Nagô ocorre no Atlântico Ocidental, desde a Flórida nos Estados Unidos até Santa Catarina no Brasil.

Na baía de Todos os Santos esse peixe pode ser encontrado em todos os ambientes e portanto em todos os pontos de mergulho, seja em recife, em fundo arenoso, em naufrágio ou mesmo na foz do rio Paraguassu.

Jovem Maria-Nagô (Pareques acuminatus) (foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

É um peixe bastante comum no Parque Marinho da Barra.

STATUS DE CONSERVAÇÃO

Devido ao seu aspecto incomum e exótico a aquariofilia possui muito interesse na espécie, especialmente nos filhotes e jovens que apresentam as características mais atraentes.

Apesar de ser uma espécie que desperta algum interesse comercial a Maria-Nagô não se encontra em nenhuma categoria de ameaça no Brasil.

Jovem Maria-Nagô (Pareques acuminatus) (foto: Rodrigo Maia-Nogueira)

Acesse a versão em PDF desta página AQUI !

Please follow and like us:

Autor(es)

+ Artigos

Mergulhador e apaixonado pelos oceanos desde a infância.
Desde a década de 1990 está envolvido em ações e pesquisas relacionadas com a biota aquática, tendo sido coordenador de resgate do Centro de Resgate de Mamíferos Aquáticos (CRMA) do Instituto Mamíferos Aquáticos (IMA) e fundador do Centro de Pesquisa e Conservação dos Ecossistemas Aquáticos (Biota Aquática) e do EcoBioGeo Meio Ambiente & Mergulho Científico, e ao longo dos anos participou de projetos de pesquisa e de consultoria na ambiental em parceria com diversas instituições.
Também atua como instrutor de mergulho SDI e PADI.
Tem como objetivo, além de produzir informação de qualidade fomentar o reconhecimento e a qualificação dos mergulhadores científicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.